A cinematografia do fantástico mundo da magia

Atualizado: Jun 2



Em 2016 eu participei de uma antologia nacional.


Participaria inicialmente com 10 poesias. Quando a prévia do livro me foi enviada para checagem, percebi que a tal exigência de 10 poesias por autor poderia ser afrouxada e juntamente com isso, notei que grande parte dos trabalhos enviados por outros autores faziam apologias à religião ou à religiosidade e isso acontecendo ao mesmo tempo em que cada aspiração à poeta que surge, traz consigo o desejo de ser notado à partir do que oferece enquanto diferencial.


Foi então que produzi "A cinematografia do fantástico mundo da magia", como uma crítica a este perfil de apologistas que não respeitam suas honestas manifestações artísticas, cerceando-as desta influência que se cansa por si só.


A crítica é clara quando acusa da falta de personalidade os autores apologistas, cujos interesses se freiam diante da obrigatoriedade do culto. A pressuposição de que um nível de instrução inferior descamba na aceitação por parte de um publico inferior(izado) diante da doutrinação mercantilizada é a questão que leva a cogitar carência por parte desse mesmo público e assim também relativizar o interesse individual por saciar carências como as do coração.


Grande parte destas produções apologistas são decorrentes da falta de motivação intrínseca, cujas propriedades fundam-se na força interior do ser e, à partir dele, para o mundo exterior. Na sua ausência, opera a motivação extrínseca, emitida por outro e adentrando no receptor, podendo este emissor ser uma referência elevada pelo carente à patamares como o de ídolo ou mesmo pastor de gado.


Quer conhecer um pouco mais esta crítica em versos? Por favor, acesse o link a seguir. Obrigado!

https://www.recantodasletras.com.br/poesias-de-reflexao/6223075

10 visualizações
Contato

Este site foi criado por Paulo Keno Zhërus. Entre em contato pelo e-mail keno_paulo@yahoo.com.br