Anti-edípica serenata

Atualizado: Fev 8


Essa poesia foi composta em 2016 e inspirada num dos meus livros favoritos, "O anti-Édipo", de Deleuze e Guattari. É um livro que remonta à discussão da psicanálise, da influência do fator edipiano na formação da personalidade. Para sustentar a análise, Deleuze e Gattari foram buscar Heráclito e a ideia de fluxo. É um livro muito interessante, pois coloca, entre tantas interessantes questões, os fatores que influenciam na construção da consciência. Peculiaridades sociais, fatores econômicos e culturais são alguns dos pontos onde se sustentam para relativizar o chamado "complexo de Édipo".


Na abordagem, o filósofo pré-socrático é trabalhado de forma a, de modo quase poético, ilustrar o funcionamento maquínico do corpo humano, que é composto por fluxos. Fluxos de sangue, fluxos de alimentação, ingestão e excreção, fluxo de trabalho, fluxo de atividades, de produção... A crítica ao fator edipiano se sustenta na discrepância que ambos os autores percebem na padronização da formação do sujeito, onde se sustenta(ria) quase que integralmente o entendimento da época em relação à teoria édipo-freudiana.


Na poesia muitas das palavras-chaves do "anti-édipo" são apresentadas. Não existe tamanho aprofundamento nas ideias, mas, no entanto, a conexão das ideias contidas nas 5 estrofes são integralmente relativas à obra. De forma que qualquer pessoa que já tenha lido ou estudado sobre esse livro (fantástico) irá associar rapidamente as ideias.



Gostaria de conhecer essa poesia? Por favor, clicando no link abaixo. Obrigado!

https://www.recantodasletras.com.br/poesias-do-social/5858174

15 visualizações
Contato

Este site foi criado por Paulo Keno Zhërus. Entre em contato pelo e-mail keno_paulo@yahoo.com.br